Massacres podem ser desencadeados por transtornos mentais não tratados

0
Foto: Divulgação

O recente atentado em Las Vegas (EUA) deixou mais de 50 mortos e cerca de 500 feridos. Tal ato foi seguido pelo suicídio do atirador, um aposentado, sem ficha criminal e sem qualquer vínculo religioso ou político aparentes.O fato reacende a importância do cuidado com doenças mentais, que podem desencadear comportamentos violentos, bem como levar ao fanatismo e radicalismo político e religioso. O médico psiquiatra, Luiz Fernando Pedroso, diretor clínico da Holiste Psiquiatria, destaca a necessidade de olhar o transtorno mental como motivador de atos violentos.

Luiz Fernando Pedroso ressalta que nos atentados que objetivam um grande número de mortes, o que mais deveria chamar atenção é a loucura do ato em si.”Para o psiquiatria, o suicídio é antes de tudo um ato de loucura. Mesmo o suicídio ‘altruísta’, aquele vinculado e motivado por valores sociais e culturais, tem sempre a questão do porquê aquele individuo foi o escolhido.  O que nos leva a pensar nas questões de dinâmica de grupo.  Como o grupo escolhe seus mártires ou suas vítimas. O grupo vai escolher para sacrificar, de alguma forma, os mais vulneráveis”, explica.

Ele alerta que pessoas em surto psicótico agudo devem ser tratadas como uma emergência médica, exigindo tratamento especializado, e, em alguns casos, até mesmo a internação psiquiátrica, mantendo-o afastado do convívio social até a remissão do quadro.

“A doença mental está por trás de muitos comportamentos sociais e ela não está sendo falada na proporção dos problemas causados”, alerta. Ele associa os transtornos mentais aos comportamentos de crianças com dificuldades escolares, que praticam ou sofrem bullying severo, adolescentes problemáticos com comportamentos delinquenciais e dependentes químicos.

O especialista salienta que boa parte dos moradores de rua também apresentam quadro de transtorno mental, assim como muitas vezes estes estão na origem de casos de crimes passionais motivados por ciúmes patológicos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA